Pessoal

Mobilidade nos Emirados Árabes

A033-00232

Nas últimas duas semanas estive em Dubai para realizar alguns trabalhos e claro não pude deixar de fazer minha pesquisa própria para ver a preferência local de mobilidade, e acabei descobrindo algumas coisas que agente acaba não achando em blogs ou em sites, só estando aqui para você descobri por si só.

Mobildade pelos Emirados Árabes é uma questão unanime, 233% da população tem telefone móvel, isso quer dizer que toda a população daqui tem um ou dois celulares ativos, Como aqui são 7.9 Milhões de habitantes, é um número bem positivo se você esta pensando em colocar um comércio ou criar um App para cá. Aqui existem 2 empresas de telefonia a Etisalat e a Du, Etisalat é basicamente a empresa responsável por conectividade de todo o país, seria uma Vivo da vida em São Paulo ou Oi no nordeste, e a Du seria uma empresa com foco apenas em mobilidade.

Das marcas mais usadas pelo povo local o iPhone tem se tornado a preferência local, assim como em outros países isso vem acontecendo por aqui. Em 2011 50% da população usava Blackberry para navegar na rede, hoje é diferente, 56% do tráfego gerado por navegação é do iPhone vindo em segundo lugar pela Blackberry.

Em resumo esses foram os aparelhos que eu mais vi nas mãos dos locais, organizado na sequência de recorrência.

1 – Samsung
2 – Apple
3 – Nokia
4 – Huawaei
5 – Blackberry

Se você tem um smartphone da Motorola ( meu caso), e precisar de bateria você está ferrado! Aqui ninguém conhece a marca.

Se você tem um iPhone, não faltam lojas que vendem capas para ele, é impressionante a quantidade. Eu vi timidamente 2 lojas da Nokia.
Da Apple tem duas grandes lojas nos dois maiores Shoppings e basicamente vários kioskis que vendem o aparelho. É tipo preferência nacional.

A mulherada adora o tal do iPhone; Já aquela galera menos favorecida financeiramente usam bastante Nokia e Huawei. Os tiozinhos Emirates usam os Blackberries features phones.

Sobre Apps

Como aqui grande maioria das pessoas navegam na internet para ler e-mail ou navegar a internet, tendo uma cobertura 100% do território e mais de 200% da população sendo atendida por diferentes modelos, você tem ZERO dificuldade em criar um App para região.

É escasso o número de Apps móveis para aqui, como serviços, governo, basicamente só os shoppings e cinemas possuem Apps, o resto desconheço. O que é uma boa oportunidade de explorar o mercado local.

Flex/ Google/ MapQuest

Mapquest 7.1.1 e o Bug do infoWindow com componentes Flex 4.6+

map_quest_blog_post

Tive a oportunidade de trabalhar com o Map Quest, já que o Google Maps foi descontinuado para aplicações Flex/Flash. A grande diferença do Mapquest é que ele é mais leve e possui uma API quase completa como no Google.
A unica grande diferença é seu suporte e a comunidade que usa.

A última versão deles a 7.1.1 tinha um bug que vinha rolando desde Outubro do ano passado onde não era possível inserir componentes do Flex 4.6 dentro das janelas dos pontos marcados no mapa e que até hoje não foi resolvido. Confesso que não foi fácil resolver esse problema.

E que problema é esse?

É basicamente assim, você tem uma aplicação que usa o Mapquest, e nele você precisa adicionar controles Flex ao seu ponto no mapa para fazer alguma interação, Se você está no Flex 4.0 para baixo, funciona tudo perfeito, roda tranquilo e redondo, só que quando você passa para a última versão do 4.6 SDK em diante até o 4.8 a coisa começa a desandar, então os controles não são mostrados, já que o content do componente não é adicionado ao tileMap.

Eu suponho que a falta de atualização seja depois das declarações da Adobe, assim como outras empresas deixaram de suportar.

Em fim, se você trabalha com MapQuest em sua aplicação Flex e que ela esteja usando o Flex 4.6 você deve usar esse Hack para funcionar.

1 – Crie uma conta gratuita de desenvolvedor
2 – Baixe aqui o MapQuest para Flex.
3 – Crie um novo projeto Flex no seu Flash Builder.
4 – Importe esse projeto exemplo e explore.

Dica importante: Para Mobile não funciona, você tem que usar o componente CallOut do próprio Flex Mobile.

Até a próxima.

Git

Usando Dropbox para manter seu repositório Git

git_windows_logo


Git sem dúvida é a sensação do momento em termos de versionamento de projetos, Github é uma espécie de versionamento de repositórios e rede social, eu inclusive tenho conta por lá.

A única diferença para se manter um repositório no GitHub, você tem que mantê-lo público, todos podem acessar o código fonte e isso é um fator implicante no que diz a respeito propriedade intelectual.

Se você ou sua empresa tem uma equipe bastante pequena ou caso você tenha equipe espalhada pelo Brasil que é meu caso e quer manter um repositório geral para projetos, documentos sem precisar gastar um centavo por isso, então veja essa receita básica para colocar as coisas em sincronia com o time e você.

 

Dropbox é um serviço de driver USB só que on-line, você pode usar o Dropbox de maneira gratuita e vem com 5Gb de espaço, o suficiente para qualquer projeto Git, por exemplo o SDK do Flex tem 170mb o seu projeto acho que não vai ultrapassar isso, então levando-se em conta você pode criar até 100 repositórios no dropbox sem pagar nada.

A grande vantagem do Dropbox é que seus dados são seus dados, eles não deixam com acesso público, assim você tem a segurança que seus dados não são expostos ao público em geral.

Configurando a máquina:

Nota: Levando-se em conta que você tem Windows 7, 8.

 Passo-a-passo

  1. Baixe um cliente e servidor de Git para seu Windows, eu recomendo o  MsysGit. inclusive está no Github.
  2. Instale o Git no Windows.
Uma vez que você instalou o Git no Windows, basta abrir o Git bash.

 

Com o Git Bash aberto, digite os seguintes comandos.

 

Criei um diretório dentro da pasta Usuários do Windows com meu usuário selecionado, criei uma pasta chamada repositorios

Dentro dela criei uma outra pasta com o nome do meu projeto “projeto_cloud“.

E iniciei um repositório git com o comando git init.

Depois criei um arquivo com o comando echo chamado README.md

Agora preciso adicionar os arquivos ao index do Git para que ele mantenha o versionamento do arquivo.

Digito os seguintes comandos.

1
2
git add .
git commit -m "meu primeiro commit local usando Git."

Feito isso, está na hora de partir para o Dropbox.

  1. Instale o Dropbox para Windows.
  2. Volte para o Git Bash
Uma vez que teu Dropbox foi instalado no Windows, ele ficará dentro da pasta de usuários com seu usuário Atual e criará uma pasta chamada Dropbox, que ele usa para sincronizar os arquivos com o Cloud.
No Git Bash digite os seguintes comandos.
1
2
3
4
5
cd ~/Dropbox
mkdir repositorios
cd repositorios
mkdir projeto_cloud.git
cd projeto_cloud.git

Dentro da pasta do Dropbox, criei uma pasta chamada repositóriose dentro dela criei uma subpasta para o projeto_cloud, igual como você fez no seu diretório local.

Agora que vem uma dica super importante; Para prevenir que haja conflitos nos arquivos commitados por outros colaboradores, use o comando –bare no git assim você terá menos dor de cabeça.

Pronto a cada commit local e em seguida dando o push para o master, você terá sempre o mais atual.

Olha como ficou meu repositórios no site do Dropbox.

Agora é só compartilhar o diretório no Dropbox com sua equipe e você terá um servidor git sempre ao seu lado.

Sempre que seu funcionário ou colega começar a usar o diretório do dropbox peça para ele fazer o Clone.

 

git clone ~/Dropbox

 

Até a próxima.

Dev. Software/ Dicas/ Dicas e truques/ Oportunidades de emprego/ Pessoal

Qual o verdadeiro valor de um desenvolvedor de Software?

real_brasileiro

Eu já escrevi por aqui vários assuntos relacionados a desenvolvedor, alguns foram bem comentados outros nem tanto. Dessa vez eu me deparei com uma situação da vida real onde você pode se perguntar qual o verdadeiro valor de um desenvolvedor de software?

É uma ciência não exata, já que como em toda profissão, o profissional de TI é um tanto quanto luxo e outros tanto quanto prantos. Meio sem sentido não é? Porém se você pensar em jingles de campanhas eleitorais, você vai ver que quase todas as músicas não fazem sentido, são paródias mal escritas e de cunho fulo.

Bem assim é o desenvolvedor de luxo, a estrela da bola, o Fênomeno dos gramados ” oops! bits”, é assim que ele se ver, vende-se mal para caramba e cobra um preço de ouro sendo ouro de tolo.

Existe valor no que foi escrito a 1 ano atrás? Existe valor no que será escrito nas propostas de trabalho e abertura de vagas daqui à 60 dias?

Tudo na vida humana é baseado em datas co-relacionadas a um evento em princípio, o principio do “Eu me acho”, é um fator avacalhador na hora de contratar um valioso desenvolvedor, seja ele do interior, da capital, da favela ou do condomínio de luxo.

Talvez, até um dia que o fator decisivo do “Eu me acho”, tenha data de validade.

Aposto que você leu até aqui e não entendeu patavina alguma. É isso que eu quero causar, perca seu tempo! Ele é a peça mais valiosa de seu dia-a-dia.

Perca seu tempo investindo em seu conhecimento, seja um perdedor nesse período. Não tente ser um desenvolvedor colecionador de certificações, MBA disso e daquilo, tente ser o maior investidor de sua carreira, começando ser auto-avaliado pelo pior crítico do mundo, seu lado macabro e sarcástico.

Todo santo dia, eu acordo, dou aquela velha esticada na cama para colocar os ossos no lugar, levanto, tomo uma ducha bem gelada para terminar de mandar o sono ir embora, depois vou tomar aquele bom e velho café quente, Ligo o tablet e vou dar uma lida nas notícias Espaciais, por que de economia, política, guerra, eu removi de meu app flipboard, já que tudo é a mesma coisa, nunca sai do ciclo.

Pois bem, depois disso, eu começo meu exercício mental e matinal, começo a ler sobre linguagens de programação, técnicas e vez ou outra eu arrisco em outros livros fora do contexto em que vivo, como por exemplo, Novels.

Depois disso, reunião daqui, reunião de lá, algumas micro conferências via skype e quando fui ver passou o dia. A noite começo a prática do que eu aprendi de manhã, por que só de teoria a coisa complica sua vida.

Lá perto das 23:00 acabo o dia, fecho a budega e vou me divertir com a patroa. É basicamente essa a rotina minha hoje, totalmente diferente de 12 anos atrás. Onde eu acordava cedo, pegava o buzão lotado, trabalhava feito jumento e depois tinha que voltar para casa. Não sei se essa dureza me ensinou a valorizar meu tempo mais que nunca.

Passados hoje 12 anos, considero-me mais um empreendedor do que um desenvolvedor, porém nunca deixei o espírito de lado em codificar produtos e idéias, sou sempre surpreendido por amigos, alunos com alguns ciclos que eu já passei, por exemplo, meia noite pedindo ajuda de código.
Você teve o dia inteiro para fazer, provavelmente você está ali por que cometeu um erro estúpido durante o dia ou o prazo recebido; Gastou seu tempo com bobagens.

E olha que eu já falei sobre gastar melhor seu tempo nesse post aqui.
Mudando um pouco da nossa conversa de pau para pião, eu sempre vejo algumas tirinhas de Médico vs. profissionais de TI, na moral da história nenhuma área é relativamente relacionada a outra em questão de conhecimento. O que toda profissão tem em comum são referências, qualidades e defeitos. Não me cola essa de querer ganhar mais só por que sabe fazer uma coisa que não vai ser útil dentro de seu atual ambiente de trabalho.

Tem uma tirinha bem interessante do Vida de programador, que eu me refiro a esse tipo de profissional, veja ai abaixo.

O que adianta você manjar de tudo isso, se você não se dá o valor? Existe um grande habismo em quebrar o galho e criar serviços. Se você for parte de uma ONG e quer ser voluntário, você dedica apenas um tempo determinado para aquele problema específico e para pessoas que não tem condições de te pagar. É o velho ditado, é dando que se recebe.

Mais saiba separar a vida pessoal, familiar da profissional, se não você vai acabar viciando seus parentes e deixando o que é importante em sua vida em segundo plano.

E esse ciclo se estende para sua atual empresa, seja você empresário ou profissional.

Se você é empresário o objeto de maior valor dentro de sua empresa é seu funcionário, faça ele gastar o tempo em coisas inteligentes que sirva para melhorar a qualidade atual do que você oferece aos seus clientes, até quem sabe gerar novos negócios não explorados dentro de sua atual gestão.

Se você é desenvolvedor e quer aumento, procure melhorar o salário apresentando novas idéias relacionadas a novos negócios não explorados na sua empresa, se seu patrão ver a idéia, adota-la e não lhe der aumento, mude de empresa imediatamente, o tempo gasto naquela idéia pode ser aplicado a outra empresa, deixe isso bem claro na hora de apresentar sua idéia e em seguida pedir aumento.

Todos querem vencer, conquistar dominar, é da nossa natureza em especial se formos homens, querer sempre o melhor, progredir, sermos os provedores para nossas famílias, é comum de nossa raça ter esse pensamento de superioridade.

Começe a pensar diferente, uma nação tem um exército para combater o mal e seus interesses, não é por que a nação tem o exército que ela vai toda hora fazer guerra. Ela sempre busca a paz e não a volatidade.

Na teoria de equilíbrio de John Nash, se você empresário ver todo o potencial de uma idéia assim como seu empregado, todos tende a ganhar, não adianta ser esperto nesse nosso mercado, ele é pequeno e logo logo sua estratégia frajuta de querer pagar menos ou de ganhar mais, ficará logo conhecida.

Assim, se aplica a teoria de equilíbrio para os colegas de profissão, o que adianta você cobrar menos que seu atual colega se você só degradará mais ainda seus futuros projetos e sacrificará mais ainda seu tempo? Tem lógica isso?

Por isso que usei a foto da nota de R$1 real, quando era de papel ela tinha mais valor na nossa carteira, depois que virou moeda, ela perdeu todo valor e o posto para nota de R$2 reais, sendo assim o espetinho de gato subiu por causa dessa mudança.

Pense bem sobre suas atitudes e valores, tem uma frase  que define bem isso de Fernando Pessoa.

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.
Fernando Pessoa

Eu termino o post perguntando, Qual é seu verdadeiro valor como desenvolvedor de software?