Adobe AIR 101/ AIR 1.0/ AIR 1.1/ AIR 2.0/ AIR 2.7/ AIR 3.0/ AIR Mobile/ Flash Player

Adobe AIR perde o foco para criar Apps para dispositivos móveis

air_2_lg.jpg.adimg.mw.138

A Adobe hoje atualizou o Flash Player e Adobe AIR Whitepapers, que é um documento público mostrando as intenções da empresa desde sua mudança de foco nos últimos 2 anos.

Hoje ela acredita que suas plataformas Flash Player/ Adobe AIR continuaram fortes na arquitetura atual e abandorá todos os esforços na criação da próxima versão do Actionscript Next e Flash Player Next, que possivelmente seriam o Actionscript 4.0 e o Flash Player 12.

Ela voltará seu foco em novas VM como o V8 por exemplo do Google Chrome ou o Webkit amplamente utilizado por vários fabricantes de navegadores.
Com essas novas atualizações dos documentos, houve Buzz e ainda vai ter, veja alguns destaques de pessoas importantes dentro da empresa, e suas visões em relação à plataforma.

Já que a regra vale a máxima, Uma imagem vale mais do que mil palavras, quanto mais uma declaração como essa.

adobe_airmobile

 

Sim, nós não estamos promovendo o AIR para criação de apps para smartphones. Eu concordo que o AIR é ótimo com o Starling e o Feathers, já que você tem uma velocidade quase nativa.

 

Essa foi uma das declarações feita por alguns dos evangelistas da Adobe, em especial o Lee no Google Plus e está disponível para quem quiser ler, que hoje lidera a parte de evangelismo para Jogos.

Não é polêmica a declaração, só reafirma que o compromisso da Adobe não é só manter o foco na plataforma Flash/AIR em sí, mas dar ênfase à outra parcela de desenvolvedores que adotam o padrão aberto.

Na mesma discussão Mike Chambers reforça que o foco da Adobe para plataforma Flash é Jogos.

adobe_airmobile2

 

 

Não é que você precisa ficar desesperado por que o suporte ao Adobe AIR vai sumir do mapa e você não vai mais conseguir criar Apps usando o Adobe AIR, só para você saber quando e como usar o AIR em suas Apps, mesmo usando ele embedado na sua App.
Essa ficará para história de como destruir um eco-sistema enorme de desenvolvedores para concorrentes.

AIR Mobile/ Android/ Apache Cordova/ ios/ iPad/ Iphone/ JQuery Mobile/ Phonegap/ Tablets

Apache Cordova vs Adobe AIR para dispositivos móveis

cordova_logo

É bom ter competitividade na esfera web, assim nasce projetos fantásticos que ajudam o desenvolvedor a criar soluções práticas e rápidas.
Este é o caso do Apache Cordova aka “Phonegap”, o Cordova tem surpreendido diversos desenvolvedores móveis, pela sua praticidade em acessar recursos nativos do aparelho para diferentes plataformas móveis, assim como o Adobe AIR o Apache Cordova te ajuda de uma maneira fácil acessar calendário, contato, notificações, alertas, vibrar, geolocalização, compasso e uma diversidade de novas funções built-in que vem no seu celular.

Depois de gastar um bom tempo estudando seu modelo, seu comportamento e como ele trabalha, decidi escrever um post sobre ele e compara-lo ao Adobe AIR, o que nesse caso eu tenho mais intimidade.

Assim como em qualquer tecnologia, você tem os pros e cons, acho que com isso você já tem uma noção maior do que usar e o que não usar, colocando em mente que cada caso é obrigatório analisar primeiro antes de decidir.

Apache Cordova

Pros:

  • Atinge 6 plataformas com uma só API
  • 90% de sua API já é built-in ( Vibration, BatteryLevel, Menu, Alertas, Calendário, Contatos)
  • Possibilita você criar suas extensões próprias com facilidade
  • Larga comunidade e alta frequência de builds.
  • Curva de aprendizagem muito rápida
  • Arquivo de instalação leve máx (4mb)
  • Performance de execução do App e efeitos de transição beira o nativo.
  • Interface pode ser feita em HTML/CSS/JS o que muito designer pode criar suas próprias Apps facilmente.
  • Componentes são criados e desacoplados em tempo de execução
  • Interfae é interpretada por um navegador interno WebKit

Cons:

  • Diversos frameworks para UI, faz você se perder em qual usar para seu projeto
  • Não tem suporte a HTTPS
  • Não suporta gestos por padrão, você tem que usar biblioteca externa para isso.
  • Ainda para dispositivos ios você tem que colocar o velho POG em ação para aceleração de hardware
  • Documentação é pobre de exemplos
  • Sem suporte a SQlite por padrão
  • Não suporta encriptação do sqlite
  • Suporta transferencia de dados em XML/JSON

 

Adobe AIR  3.5 para mobile

Pros:

  • Atinge apenas (Android 2.3.3+, ios 3.1+ e Blackberry Playbook)
  • Ciclo de vida de componentes baseado em eventos
  • Suporte a gestos por padrão
  • Suporta transferencia de arquivos em AMF/AMF3/JSON/XML
  • Suporta HTTPS/ SQLite/ Webcam/Audio e Video
  • Live stream de videos
  • Componentes já pré-fabricados usando o Flex Framework
  • Performance de 60fps quando usadas as classes Stage3D
  • Documentação extensa

Cons:

  • Arquivo de instalação ~10mb o que é grande para se transmitir via 3G
  • Interface é compilada e rendenizada
  • Suporta recursos nativos apenas se você extender com o ANE
  • Rendenização de texto é um pesadelo
  • Layout fluido para diversas telas diferentes é um POG gigantesco
  • Performance lenta quando se tem mais de 5 views
  • Ciclo de 24fps deixa qualquer celular com Android 2.3.3 lento
  • Não melhora o gerenciamento da bateria.

 

Claro que tem outros pros e cons de cada tecnologia, só que essas são as mais corriqueiras que você vai ver em grande parte dos casos quando for escolher.

E qual devo usar? Essa deve ser sua pergunta agora depois de ter lido os pros e cons. Minha resposta é vai depender de seu caso e o que você precisa fazer.

Um exemplo é, se você vai fazer jogos, eu lhe aconselho usar o Adobe AIR, já que a performance é melhor e muito mais fácil para criar jogos, agora se você vai fazer uma App para empresa que ela coleta informações de inventário, informações de cliente ou um App para registro de compras, o Apache Cordova é seu melhor parceiro.

Depois de duzias de Apps escritos, eu estou considerando o Apache Cordova como primeira opção e logo em seguida o Adobe AIR para boa parte dos Apps que escrevo diariamente.

Pergunto a você quais foram seus maiores problemas entre as duas plataformas?

AIR Mobile/ Blackberry/ Flex Mobile Framework/ iPad/ Iphone/ Negócios/ Notícias

Flex, Dinheiro e Mobile venha a ver no Campus Party 2012

campusparty2012

Fala meus queridos leitores. Como foi o mês de janeiro para vocês? Muita coisa bacana rolando na IDE, Git, celular?

Deixa eu te contar, hoje começa o Campus Party 2012. O maior evento da TI da América Latina, com muito nerd por metro quadrado já visto. Se bem que essa visão de Nerd já é ultrapassada, alias, lá você verá muito empreendedor jovem, cheios de idéias brilhantes para colaborar com o futuro do país. É assim que eu vejo o evento.

Esse ano dentre várias novidades, uma delas a minha favorita Michio Kaku, e também os 20G/s de conexão. Quem sabe um dia não temos uma conexão dessas por R$9,99??

O Campus Party mudou de lugar, agora está no pavilhão do Anhembi, o mesmo que acontece o Salão do Automóvel. Bem melhor mesmo, visto que é mais fácil de chegar de metrô ou taxi.

Ano passado eu palestrei lá, quem não viu, pode assistir novamente aqui. Passou-se o ano e o David me chamou para palestrar mais uma vez no evento. Eu aceitei o desafio e vou levar comigo 2 palestras.

No dia 10/02 será as duas palestras, a primeira sobre Flex 4.6 e os avanços no SDK, além de falar também um pouco da mudança para fundação Apache.

Adobe Flex 4.6: três plataformas e um só código fonte.

E a outra palestra tem mais a ver com ganhar dinheiro no mundo móvel

Como ganhar dinheiro no mundo mobile?

Nessa palestra, eu vou falar de minhas frustrações e alívios em diferentes plataformas, diferentes SDK e diferentes políticas de distribuição de Apps. Além disso, claro, como tirar proveito e ser lucrativo com Apps.

Eu vejo vocês na área de Inovação(Ala Azul) da Campus Party 2012.

Até breve.

AIR 3.0/ AIR Mobile/ Android/ Flash Player 11

Flash Player 11 e Adobe AIR 3.0 lançados oficialmente

Está acontecendo entre os dias 01 e 05 de Outubro o Adobe MAX 2011. Como todo ano da conferência a Adobe libera novidades para sua familia enorme de desenvolvedores e designers; E uma dessas grandes novidades foram as mais esperadas no mundo dos desenvolvedores o Adobe AIR 3.0 e o Flash Player 11.


Para você ter uma idéia, o Flash Player 11, dá suporte nativo a 64 bits, finalmente os navegadores vão parar de travar e você não tem que ficar usando alguma gambiarra.

Dentre várias novidades que eu já destaquei aqui . O Flash Player 11 sem dúvidas está mais que redondo, eu arrisco falar que era para ser esse o Flash Player 9, lançado a 5 anos atrás. Em fim, nada acontece como agente espera.

Se você tem o Flash Player 11 beta como eu tenho, desinstale totalmente e instale o novo, a coisa muda da água para o vinho, mesmo sendo beta, alguma coisa eles fizeram de voodoo do beta para essa versão final que ficou bem mais rápida.

Veja aqui a lista completa de novidades do Flash Player 11 e surpreenda-se.

Ah ! E claro, atualize agora o seu, clique aqui.

Outro produto run-time e cada vez mais se tornando carro chefe da Adobe principalmente no mundo móvel é o Adobe AIR 3.0.

Sensacional é a novidade do Native Extensions, eles acertaram em cheio nessa novidade que basicamente é, você pode criar N possibilidades para a API do Flash/Flex/AS3, sem a necessidade de esperar a Adobe criar APIs para tal, isso elimina ela de uma grande responsabilidade de colocar essas API prontas, e encoraja a comunidade de desenvolvedores de criar suas próprias soluções, isso me lembra muito as .dll do Windows no antigo visual basic.

Comparações a parte, essa foi a melhor release ou seja pulo do gato no Adobe AIR 3.0. Estou pensando nas incríveis capacidades que as aplicações móveis terão em relação ao SDK nativo que cada plataforma tem.

Veja aqui a lista completa das novidades do Adobe AIR 3.0. Tem inúmeras, como já relatei aqui.

Atualize seu Adobe AIR 3.0 no seu Android, PC agora, veja como aqui.

AIR Mobile/ Blackberry/ Flex Mobile Framework

Porte sua app para o tablet da BlackBerry e ganhe um (Playbook tablet) novinho em folha

É, você não ouviu errado, a BlackBerry está com uma ótima promoção para desenvolvedores adotarem sua plataforma de uma vez por todas.
Tanto é que agora no Blackberry DevCon Américas, todos os participantes da conferencia irão sair com um tablet novinho em folha.

A promoção é a seguinte:

Você se registra como membro de parceiros da Blackberry pela bagatela de US$699, usando o código DSTSH5. Ou seja 2 coelhos com 1 paulada só.
Registre-se para a conferência até o dia 17 deste mês de Outubro,2011. E sai com um Tablet novinho para portar sua App.

A Blackberry tem um excelente ecosistema que tem atraído muitos desenvolvedores para adotar a plataforma, tanto é que suporta Adobe AIR, Flex, Flash, Actionscript, Java,tecnologias Web em geral.

Acesse agora e registre-se para o Blackberry DevCon Américas.

AIR 2.7/ AIR Mobile/ Android/ Flex/ Flex 4.5/ Flex Mobile Framework

Criando seu primeiro aplicativo Flex 4.5 Mobile para smartphones Android parte (1 de 3)

Depois de muito tempo sem tempo, olha que controvérsia, acabei com algumas horas livres essa tarde e aproveito para escrever esse post.
Quer criar Apps para Android com o Adobe AIR e Flex? Siga a receita abaixo para isso.

Ja é sabido de sua parte que o Flex cria apps nativas para Android de forma hiper simples. Se você é acostumado ao seu workflow de componentes, ciclos de vidas, você irá facilmente criar Apps elegantes, rápidas e intuitivas para dispositivos móveis.

O Framework do Flex, que usaremos é o Flex 4.5 com overlay do Adobe AIR 2.7, que conta com 4x mais performance do que o AIR 2.6. Em suma, o Flex roda em dispositivos móveis por que o AIR Run-time roda no Android.

Só que antes de você sair comprando ai seus dispositivos xing-lings ou baratinhos com o Android para testar suas criações artisticas, aconselho ler esse POST.

Para começar a brincadeira, você vai precisar de alguns ingredientes, vamos aos itens:

Antes de configurar alguma coisa, é super importante que você tenha em mente a seguinte afirmação. Eu entendo os riscos e serei um bom garoto(a), e nunca irei portar nenhum App meu com Datagrid de 100 registros dentro de uma App móvel, não farei Zilhões de operações.

Ok! Agora pode continuar.

Criando uma conta no Google e no Android Market

Esse passo é o mais simples que você encontrará nesse post, duvido que você não tenha uma conta no Google, vai dizer pajé que tu não tem um @gmail.com ? Uma continha perdida do Orkut? Ah! você vive em outro mundo que não é esse, volta para lá de onde tu veio vai! Esqueça isso de Mobile.

Ok, animos acalmados, criou a conta? Ah! Já tem? Ótimo, o próximo passo é registra-se no Android Market e se tornar um publicador de Apps lá. O processo é mega simples, entre no endereço https://market.android.com/publish/Home
android_publish_home.

Coloque seu login e senha e clique em Login, como você ainda é novato, vai aparecer outra tela perguntando seu Developer Name, dados de contato e telefone. Lembre-se coloque um nome de guerra, nome profissional, nada de vitinho, Vikky, Fofinha, LindinhadoAndroid, algo que passe credibilidade aos seus futuros usuários, Caso você seja uma empresa nem preciso fazer essas recomendações, basta colocar o nome da empresa que você quer usar como Developer Name no formulário.

android_publish_info

Clique agora em Continue.

Depois disso, você precisará dos

US$25 dolares

para fazer a sua inscrição no programa por 1 ano, se você tem conta no Google Checkout basta gastar por lá, caso contrário use algum cartão de crédito de qualquer bandeira que aceite transações internacionais.

android_publish_pagamento

Pronto, você está com a conta no Google Android Market criada e é só aguardar a liberação. Em média esse processo é quase imediato, em outros pode levar cerca de 1 dia no máximo. A coisa é rápida, então fica de olho no e-mail de boas vindas quando tudo for aceito pelo Google.

Aqui está minha dashboard no Android Market.

android_publish_dashboard

Configurando o Flex 4.5.1 SDK para usar o AIR 2.7 SDK

Como o SDK do Flex 4.5.1 ainda vem com suporte ao Adobe AIR 2.6 que é cerca de 4.x mais lento tanto no Android quanto no IOS, você vai precisar configurar seu SDK, esse processo agente chama de “SDK Overlay”, que é basicamente um CTRL+C e CTRL+V em alguns diretórios que sobrepõem arquivos antigos do AIR 2.6.

Baixou o AIR 2.7 SDK? Ok, feito isso extraia ele para um diretório de sua confiança, que seja simples de acessar. O pacote contendo o AIR 2.7 SDK tem os seguintes diretórios e arquivos.

air_2.7_sdk

Se você tem um igual, sinal que vai dar tudo certo, meio caminho andado.

Baixou o Flex 4.5.1 SDK? Ótimo, faça o mesmo processo do AIR 2.7 SDK e descompacte ele no seu diretório predileto, eu particularmente sempre deixo em um diretório meu chamado SDKs, porém nesse exemplo tem pessoas que gostam de deixar no mesmo diretório dos já existentes SDK do Flash Builder 4.5.1.

Ok, se você tem o SDK já descompactado, basta copiar o conteúdo da pasta onde você descompactou o AIR 2.7 SDK dentro da pasta do Flex 4.5.1. SDK. A idéia é sobrescrever os já existentes.

Feito? Ok, próximo passo é instalar o Flash Builder, a ferramenta perfeita para você criar suas apps, não só para Android como para outros devices, ios, BlackBerry Playbook, Web e Desktop.

Flash Builder Instalado? Perfeito, vamos agora configurar o ambiente Android para rodar sua app no console nativo que o próprio google disponibiliza.

Configurando o Android Console

Já tem o Java instalado em sua máquina? Então pule essa etapa, ela só serve mesmo para quem nunca usou o JDK ou tem apenas o JRE.

Para você testar no console, você precisa do JDK(Java Development Kit), que já vem tudo em um, então dependendo de seu sistema operacional, você precisará fazer alguns processos manuais, já no Windows é meio for dummies, é next-> next-> finish.

Baixou o correto referente ao seu OS? Instalou? Ótimo, pois agora precisamos definir as variáveis de ambiente do JAVA_HOME nas configurações globais do sistema operacional.

No Windows, vá em Iniciar – > Computador -> Botão direito do mouse -> Escolha propriedades -> Escolha aba Configurações Avançadas -> Variáveis de ambiente.

Adicione um novo registro na suas variáveis de ambiente com o nome JAVA_HOME. Olhe o exemplo abaixo.

jdk_java_home

Se você configurou tudo certinho, você pode testar no prompt do DOS do windows digitando java -version. Vai aparecer isso aqui ó.

java_version_console

Agora você está pronto para o Android SDK.

Baixando e configurando o Android SDK

Baixou o SDK? Então descompacte em um diretório de fácil acesso, eu coloquei o meu em C:/android-sdk. Para facilitar digitação de comandos.

Execute o SDK Manager, que é o carinha responsável por baixar todos os arquivos necessários do Android SDK da nave mãe Google.

android_avd

Pela primeira vez, esse processo dependendo de sua conexão com a internet, leva uma média de 1 hora para baixar todos os arquivos para seu computador.
Depois disso ele fica como o meu aqui.

android_sdk_dir

Ok, tudo configurado e instalado, vamos verificar se está mesmo. Com o mesmo comando que fiz para o java -version, usarei agora o comando adb version que é o Android Debug Bridge , para ver se executa corretamente.

android_adb

Se aparecer como na imagem acima, é sinal que tudo está correto e perfeito para criarmos nosso Android Emulator, onde iremos simular o sistema operacional Android. Prontos para esse passo?

Ah! Que esqueci, que depois que ele instalar tudo, ele vai pedir para você fechar o SDK Manager e abrir novamente, para que as alterações sejam aplicadas.

Criando o Android Emulator

Ok, volte agora ao SDK Manager e escolha a opção Virtual Devices.

android_virtual_devices

Veja que nesse meu eu já possuo 2 devices virtuais, para criar outro basta clicar em “New…”.

android_new_console

Preencha os dados de seu virtual device, assim como mostra na imagem acima, veja que eu não esqueci de criar usando o Android 2.2 API level 8, que é o necessário para o Adobe AIR rodar e consecutivamente o Flex. Como eu quero apenas testar a App nativa no dispositivo virtual eu deixei as outras configurações padrão, salvo apenas para a memória alocada de 100mb para esse console. Agora clique em “Create AVD”.

O AVD foi criado, só que agora falta executar, esse processo é bem gastante se você tem pouca memória na máquina, típicos 2GB, demora aproximadamente 20min até 30min para ele começar realmente executar, Eu por exemplo tenho 8Gb de memória e leva uma média de 5min. Se você tiver problemas na hora de executar veja se o JVM está setado corretamente.

Para executar, basta clicar em “Start…”.

android_starting

Essa tela preta é demorada, então aproveita e vai tomar um café, falar com sua tchutchuca.

….
……………
Passados alguns minutos. E eis que temos a tela inicial do Android rodando.

android_started

Android rodando, navegando na Web, agora só temos um problema, não temos o Adobe AIR instalado para testar a App, como fazer?

Instalando o Adobe AIR APK no seu emulador

Se você é por natureza curioso, dúvido você não ter bisbilhotado o SDK do Flex que você fez o overlay(Sobreposição) do AIR 2.7 no Flex 4.5.1 SDK. Abra esse diretório para você navegar nele, dentro do SDK você vai encontrar o nosso famoso AIR.apk que é necessário para rodar suas Apps.

air_apk_folder

Veja que eu fiz um mapinha de onde você vai achar o run-time do AIR para seu emulador Android, existem dois, para o Device e para o Emulador, você deve usar a versão Emulador, que é com ela que você vai conseguir emular alguma coisa. Resumindo eis aqui o caminho completo em minha máquina.

C:Program Files (x86)AdobeAdobe Flash Builder 4.5sdks4.5.1_air2.7runtimesairandroidemulator

Lembre-se seu índio, que o diretório na sua máquina pode ser diferente, se não você vai reclamar depois nos comentários que não consegiu achar o tal APK.

Eu copiei o meu para esse exemplo para o diretório raiz, C:/ para facilitar agora o processo de digitação pelo prompt de comando.

Abra o CMD(MS-DOS), e digite o comandos abaixo.

adb devices

adb_devices_list

Se aparecer o nosso Emulador em execução,é por que está tudo OK.

Para instalar é super simples, digite o comando.

adb install {NOME-DO-EMULADOR} c:/Runtime.apk

adb_devices_install_sucess

Finalmente terminamos essa parte chata de configurar a máquina, seu Adobe AIR está funcionando perfeitamente no seu device, Só que como é que eu sei que ele está instalado? Tem 2 formas, vê se o resultado do comando de instalar deu certo e também indo no Emulador, clicar em
Settings -> Applications-> Manage Applications; E você vai ver o Adobe AIR instalado lá.

air_installed

Tudo pronto, agora só abrir o Flash Builder já instalado e começar com sua App Hello World. Nos vemos na próxima Etapa.

Aproveite e participe do grupo de discussão Flex-Mobile

AIR 2.7/ AIR Mobile/ Flash Player

Adobe AIR 3.0 e Flash Player 11 Beta 2 já disponível no Adobe Labs

Cansado do Flash Player 10.3 e seus erros de HTTPS ?

Então prepare-se, por que além disso o Flash Player 11 vai vir bombando nessa versão. E não é papo de blogueiro não, juntei aqui algumas novidades que vai deixar muita gente com vontade de instalar ele antes mesmo de sair no mercado. Se você é desenvolvedor você já deveria ter instalado ele para testes.

Adobe AIR 3.0

Novidades que realmente valem a pena comentar

Stage3D Accelerated Graphics Rendering (desktop) — Stage3D (“Molehill”) é uma nova arquitetura para aceleração de hardware para renderização de gráficos criada pela Adobe. Stage3D tem API de baixo nível para habilitar gráficos avançados em 2D e 3D que funciona para múltiplas telas, como desktop, mobile e tv.
Ou seja,quem é acostumado com o OpenGL, softwares de 3D vai achar isso o máximo.

H.264/AVC Software Encoding for Cameras (desktop) — Transmitir agora sua webcam 720p virou real, o Flash Player agora dá suporte a isso, imagino as apps de video conferência utilizando isso em tempo real com uma qualidade excepcional. Vale lembrar que tem que ter banda de internet boa.

Native JSON (JavaScript Object Notation) — Suporte nativo a JSON, Uffa! até o JQuery tinha API o Flash Player tinha que ter.

Garbage Collection Advice — Melhorou muito, o lixeirinho querido dos desenvolvedores Flex/Flash, agora tem uma API que até agenda a coleta das informações.

Secure Random Number Generator — Muito bom, você pode gerar números random para encriptar banco de dados local, criar protocolos de comunicação seguras, Eu acredito que a Adobe adicionou isso ao AIR devido a Marinha Americana utilizar ele em alguns apps.

Native Extensions – Essa é uma das Maiores se não a Maior função revelação do AIR seja para Desktop ou Mobile a idéia do Native Extensions é gerar novas bibliotecas em C ou C++ para utilizar novas API. Ou seja é limitless, sem fronteiras.

Native Text Input UI (mobile) — Eles me ouviram, Eu havia postado isso como future request e não é que eles adicionaram, uma das minhas dificuldades em criar apps com AIR para Mobile era justamente em campos de texto, fica muito complexo a utilização das funções nativas que o dispositivo já possui no teclado, nada melhor que interagir com isso de uma forma mais nativa, mesmo programando em AS3. Onde você pode selecionar o texto, dar zoom no campo, pular de campo. E o bom disso tudo é que funciona em todos os dispositivos ( Android, Blackberry Tablet OS e iOs).

No Flash Player 11

Native 64-bit Support (Flash Player desktop) – Finalmente um Flash Player decente para quem tem Windows x64.

Quer ler todas as novidades? Leia aqui o release Notes

AIR Mobile/ Flex/ Flex 4.5

Ganhamos no desafio do Melhor App Flex de Open Source no Flashcamp Brasil 2011

Notícia excelente, além de termos noticiado aqui e aqui , que haviamos criado o app para o Flashcamp Brasil no Android, nós decidimos abrir o código fonte do mesmo para participar do desafio do evento.

Não deu outra, acabamos por ganhar como melhor App Flex Open-source. O app é para plataforma mobile Android, onde todo e qualquer desenvolvedor que domine o Flex/AIR, possa criar um App similar para outros eventos de tecnologia ou não e assim fomentar a informação para quem participa dos eventos por ai à fora.

Muito bom ganhar um desafio, esse foi o primeiro que participamos. Parabéns aos outros ganhadores em outras categorias.

AIR 2.7/ AIR Mobile/ Android/ Flash Builder/ Flash Builder 4.5/ Flex/ Flex Mobile Framework

Flex 4.5.1 SDK e Flash Builder 4.5.1 com suporte a iOS

E viva! o Flash Builder 4.5.1 agora dá suporte a publicar sua aplicação Flex para plataforma iOS. Embora ela tenha lançado esse suporte o Flash Builder 4.1 já havia suporte para projetos com Actionscript 3.0 puro.

Esse novo lançamento vem fomentar mais ainda o mercado e ajudar a entregar aplicações ao tablet da Apple e também ao iPhones. Antes desse lançamento já era possível fazer via linha de comando com o último SDK 4.5. Porém é um baita rodeio para você fazer compliar.

Com os wizards do Flash Builder 4.5.1 para ios, a coisa ficou bem mais fácil. Para quem já tem o Flash 4.5 registrado baixe gratuitamente aqui o update.

Dica importante, para quem está publicando apps em Flex para iOS, não usem o AIR 2.6 SDK que é o padrão dessa versão. Leiam esse documento para que vocês possam utilizar o AIR 2.7 que está 4x mais rápido do que a atual versão suportada no SDK.

Outra dica para quem está publicando para o Blackberry Playbook, leiam esse release no Blog da RIM.

Quem é ligado como eu nos released notes sobre bugs existentes e já conhecidos, leia aqui. Nele você também encontra informações como usar o Flash Builder no Linux.