Negócios/ Vídeo/ Web 2.0

Três tendências para 2010 no mundo de desenvolvimento

Por todo lado do mundo você ver, pessoas blogando suas tendências para o próximo ano. E como é de costume prevermos alguma coisa que pode ocorrer futuramente. Eu tenho as minhas 3 tendências que vão decolar em 2010, podem até empacar, risco é risco, mas nada tão bom quanto arriscar.

1 – Ele veio de mansinho, feito por um gigante e como é de praxe todo mundo dizer que um dia ela dominar o mundo. O Google Android é a plataforma de sucesso que garimpou muito nesse ano de 2009. O que consecutivamente para 2010 vai continuar o bom trabalho feito esse ano. Prova disso é a nova versão do Android 2.0. Fora diversas empresas já lançando seus celulares com o Android habilitado. Em 2008 eu falei para o Fabiel Prestes, acho que ele deve lembrar, quem dominar a desenvolver para ele. Está com emprego garantido para os próximos 5 anos. O momento é agora, ano que vem isso vai ser novidade. Já que a HTC acabou de anunciar seus novos aparelhos para o ano de 2010. Onde o Android já se integra para qualquer tipo de serviço de rede social. Afinal é google né!
Falando-se em desenvolvimento Mobile, o processo para aprovação de envio do seu aplicativo para o Android Market. É muito diferente da Apple. Onde já vi diversos desenvolvedores reclamando da lentidão de se aprovar um novo aplicativo. Isso o google fez bem diferente o que conquista o principal ator do espetáculo “O Desenvolvedor”.

2 – ORM – Nem precisa falar muito dele, suas siglas Object Relation Mapping, como o guia Wikipedia diz em bom tom:

Mapeamento objecto-relacional (ou ORM) é uma técnica de desenvolvimento utilizada para reduzir a impedância da programação orientada aos objetos utilizando bancos de dados relacionais. As tabelas do banco de dados são representadas através de classes e os registros de cada tabela são representados como instâncias das classes correspondentes.
Com esta técnica, o programador não precisa se preocupar com os comandos em linguagem SQL; ele irá usar uma interface de programação simples que faz todo o trabalho de persistência.
Não é necessária uma correspondência direta entre as tabelas de dados e as classes do programa. A relação entre as tabelas onde originam os dados e o objecto que os disponibiliza é configurada pelo programador, isolando o código do programa das alterações à organização dos dados nas tabelas do banco de dados.
A forma como este mapeamento é configurado depende da ferramenta que estamos a usar. Como exemplo, o programador que use Hibernate na linguagem Java pode usar ficheiros XML ou o sistema de anotações que a linguagem providencia.

Fonte Wikipedia.

ORM vai melhorar muito ano que vem. Como Hibernante é Nostradamus, todas as linguagens de programação voltadas para Web e desktop vão dar suporte a ORM. Onde já temos Java,ColdFusion,Ruby on Rails, Python e PHP. Haverá muito mais suporte e bem melhor do que as atuais já com suporte, o desenvolvedor já deve saber isso para ano que vem arrebentar.

3 – Vídeo. 70% dos videos na Web são criados para rodar na plataforma Flash Player, graças ao pessoal do On2 Technology (hoje Google). Quem domina o fator Vídeo, TV’s on-line, vai saber ganhar dinheiro e ter diversas ferramentas distintas para ensinar e interter. Dentre as tecnologias mais usadas para provê são servidores de transcoding para o formato de qualidade H.264,são o FFMPEG, FMIS, WoWza, FoxServer,Red5. Principalmente aqui no Brasil, onde os dois setores foram responsáveis por boa parte da fatia gastas em publicidade e assinaturas. Não é atoa que o Youtube é o site mais acesso no Brasil, cerca de 48 milhões de visitas únicas todos os meses.

Essas são nossas tendências para 2010. Ao nosso ponto de vista do mundo de desenvolvimento.

Flex/ Vídeo

É quase natal, tem tempo para Flex?

É quase natal e eu sei que tem muita gente fechando release de projeto, comprar presente de natal para turma toda, tem até aquiles que estão enfrentando o desafio de casar logo no final do ano; É mesmo um marasmo.

Fora tudo isso adicione ao seu calendário a gravação de 1 vídeo de 30 segundos explicando por que você usa Flex. Pagar mico? Teve gente que mandou e-mail adorando a idéia,mas acabou ficando com receio de pagar mico.

Ah! Não pague mico, envie um vídeo, mico que é mico faz isso aqui.

Participe, até agora só 1 video? Onde estão os 2.377 participantes da Flex-Brasil ? Os 1.170 da flexdev? E os nossos amigos patrícios?

Envie seu vídeo, é só até dia 23 de dezembro. O Vedovelli e a Gabriela Perry queridos administradores da Flex-Brasil já deram sua ajudinha em divulgar, peço também aos nossos colegas leitores e blogueiros, via twitter que façam o mesmo.

Por que Flex? Envie.

interar/ Labs/ Notícias/ Open-source/ Vídeo/ Web 2.0

Criando uma ferramenta de Video Conferência ( Parte 1 )

Sem dúvida a necessidade do ser humano em sí comunicar vem lá da idade média onde ainda escreviamos em caverna para contar nossa história às futuras gerações. O tempo passou chegadou a idade da pedra, do aço e do papel. Com as recogitadas situações da era humana sempre tivemos essa necessidade de falar, ouvir e até mesmo não ouvir só falar. Surge então em 1981 por ai a tal da Internet, mais uma forma agora da era digital de se comunicar,ver, interagir e covergência digital.

Criar aplicações hoje que sejam usadas por massas é o sonho de todo programador, desenvolvedor, como queira chamar. Só que atingir esse público é longadoura a carreira e pode fazer você desistir facilmente e correr atrás de coisas mais fáceis, ou até mesmo CTRL+C e CTRL+V no trocadilho do mundo digital.

Pois bem, nesta primeira parte de algunas, acreditando eu que possa chegar até a décima, vamos ilustrar aqui como criar uma ferramenta típica e bem útil nos tempos modernos, que é a tal da Video Conferencia, mais não uma simples video conferência, uma feita para rodar na Web no browser e no desktop, que use a tecnologia de ponta que há disponível no mercado.

Nossa ferramenta de Video conferência vai ser parcialmente igual ao modelo encontrado pela solução da Adobe o Adobe Connect Now, que é ao meu ver a melhor opção hoje do mercado para conferências on-line.

Se você for preguiçoso, que gosta só de copiar o código, mudar o nome e dizer que foi você que fez o projeto para impressionar seu chefe ou ganhar uma vaga para um futuro trabalho, pare por aqui mesmo, a intenção deste projeto é causar a parte da pesquesa e desenvolvimento que você está deixando morrer dentro de você, siga os exemplos dos povos da Europa, Estados Unidos, Índia, tente criar alguma coisa nova, instigar seus objetivos como desenvolvedor e use essa série de artigos para inspirá-lo a melhorar essa ferramenta.

Pronto, seguimos então depois do recado….

Ingredientes usados:

Adobe Flex Builder 3 – Para facilitar na codificação
Adobe Flex SDK 3 – Essencial para facilitar o layout da minha aplicação
Flash Media Server – Uma das peças chaves do quebra-cabeça, não me venha pensando em pedir para demonstrar usando outras soluções do mercado, lembre-se do recado acima dado, busque novos horizontes e faça o seu com a sua solução disponível.
WebOrb 3.0 for PHP – Esse aplicativo é muito útil, é com ele que vamos definir nosso lado administrador da video conferência.
XAMPP – Solução útil que reúne PHP,MySQL e apache em um só pacote.

Bibliotecas de códigos utilizadas:

OpenFlux
as3coreLib
absolutobrasil
FlexUnit
PureMVC
GoogleMaps
flexlib
QueueLoader
Tweener
as3rpclib
as3xls
urlkit
as3sharelib
as3httpclientlib

Depois de juntar os ingredientes é listar as funcionabilidades deste projeto. Reunir quais novidades a video conferência terá.

– Video para até 4 participantes
– Audio
– Chat entre participantes e privados
– DashBoard de gráficos
– Exportação de resultados de pesquesas
– Pods e painéis
– Gravação de toda a atividade da aplicação
– Undo/Redo para painel de anotações
– Screensharing (compartilhar a tela do computador )
– Syntax Highligt ( Exibir código fonte em caso de conferências para desenvolvedores )
– Controle de audio.
– Black Screen ( Você ja deu aula em um projetor Epson ou Dell? Eles tem um Black screen caso você esteja compartilhando sua tela e quer ver um e-mail e não quer parar o compartilhamento, você insere uma tela preta.
– Screen Resolution – Se adapta a resize do Browser até em compartilhamento de tela
– Controle de sessões
– Controle de Atas
– Acesso por níveis
– Painel de Administrador
– Upload de apresentações em PPT
– Whiteboard – Lousa em branco para desenhos
– Google Maps colaborativo para marcar eventos
– Compartilhamento de arquevos integrado com o serviço da Adobe o Share
– Gerar PDF,Excel,txt, csv,log dos chats.
– Auto-hide panels.
– Pesquesa de opinião com várias respostas do tipo ( checkbox,radiobutton,textInput).
– e mais quando forem surgindo mais idéias.

Usando patterns
Sim, será usado o PureMVC juntamente com o OpenFlux para deixar o nível de abstração da ferramenta o mais fácil possível.

Nome do projeto.

Tudo tem que ter nome de batismo, vou chamar esse projeto de INTERAR que é uma palavra muito comum em Pernambuco que significar completar, adicionar, somar, e como eu quero adicionar interatividade entre pessoas cai bem ai um nome, não tem logo ainda, e claro que vai ter, só basta alguém de bom senso me enviar.

Prontos para o próximo passo? Aguardem que domingo tem mais INTERAR na parte dois.

Que trata-se de : Configurando ambiente e definindo a interface do INTERAR.

Ah! e quase esqueci, não coloquei os links dos ingredientes de propósito, só para dificultar sua vida um pouco afinal você ja tá pegando o feijão cozinhado. Quem for achando os links vai postando aqui para ajudar aos outros.

Alternativa ao Flex Builder/ Dicas e truques/ Flex/ Labs/ Vídeo

Video Aula – Usando o FlashDevelop com Flex 2 SDK

Bem, um dos leitores deste blog me deu uma grande idéia de criar uma video-aula de demonstração ‘como de criar aplicações Flex usando o FlashDevelop’; Então está feita a idéia e posta em prática.

Usei o novo Adobe Captivate 3, que por sinal está ótimo o driver de gravação em full-motion.

Clique aqui para assistir.

Dúvidas? só enviar e-mail para [ajuda] @ [igorcosta.com] – Sem esses colchetes [].

Flash/ Flash Player/ Notícias/ Vídeo

Conversor de video para .flv gratuito

Acabei de ver no digg.com essa empresa oferecendo uma quantidade significativa dos seus softwares gratuitamente. Dois dos quais eu me interessei muito foi o conversor de videos do youtube para .flv e o conversor de vídeo para ipod, já que uso bastante os dois, acho que vale a pena escrever esse post para avisar a todos, baixem, é gratuito.

Eu testei e a qualidade final dos videos depois de ter feito é significante e não deixa à desejar.

Captivate/ Notícias/ Vídeo

Novo Captivate 3.0 inúmeros recursos que me impressionam

Silke é uma maravilha de pessoa, ela é a gerente do produto Captivate 3 e sempre trocamos e-mails para discutir sobre EAD, já que o Fábio Oliveira é o administrador do grupo Captivate Brasil do qual fui o fundador e sempre discutimos sobre novas formas de criar conteúdo para ensino a distância de forma inteligente, rápida e fácil.

E em uma de nossas conversas estavamos falando do crescimento de mercado sobre tipos de treinamento on-line e veja o resultado abaixo bem mastigado.

Segundos dados da Guild e-Learning no mundo existem dois tipos de segmentos para ensino à distância um é chamado de Rapidly training e outro é chamado de Long training. Como o próprio nome é claro, o primeiro trata-se de treinamento rápido e que requer uma certa urgência como é o caso em treinamento de vendas quando novos trabalhadores temporários vão agregar à lista de colaboradores da Empresa, e dentre muitas outras utlidades. E tem o Long training que é uma solução completa de treinamento on-line com múltipos passos, excessas horas on-line, integração em SCORM, AICC, LMS dentre vários padrões.
Ambos vem crescendo à medida que novos recursos são disponibilizados à partir da tecnologia usada e aplicada neles. Porém em valores reais Rapidly Training cresce por ano 15% à mais que Long training que é só 9% ao ano contra os 14% do Rapidly training.

Tendo em mente esses dois focos é dificil para uma empresa tomar o melhor rumo de sua ferramenta e focar ou em clientes pequenos ou em clientes de maior porte. Porém isso é uma coisa que dificilmente acontece hoje, posso até arriscar que isso acontecia na época da Macromedia onde o Captivate não tinha muito foco, hoje a história é diferente, com a já existente PhD. Ellen Wagner da Macromedia reabrindo o departamento de EAD na Adobe as coisas mudaram, mais recursos financeiros e lógico muitas idéias se tornando realidade.

Foi ai que dentro de pouco tempo 1 ano exatamente conseguimos ter cerca de 89 mudanças significativas do Captivate 2 para o Captivate 3, que ao meu ver é a versão mais estável que eu já vi em toda sua vida desde a época que era da eHelp o Robo Demo.

Apelidado com o code-nome Mona Lisa, o Captivate trás dentre muitos recursos uma coisa que eu em meu caso particular gostei, foi o suporte a formato em swf9 e o smart record especialmente para quem tem processadores 64(bit). A aceleração de hardware diminuiu cerca de 40% em relação a versão anterior e a qualidade gráfica das imagens gravadas é fantástica.

É por isso que mais ainda em todas as minhas palestras, consultorias, viagens de negócios quando surge a oportunidade eu apresento esse software que é uma mão na roda na hora de criar simuladores, simulação, quez na hora que você mais precisa, não só quebra um galho mais a árvore inteira.

Eu não só uso o Adobe Captivate para questões profissionais, uso para questões próprias mesmo, um exemplo disso é que como moro longe de casa eu sou o consultor particular e premium da Senhora Costa. Ela sempre tem dúvida e imagina ter que explicar como fazer tais calculos no excel, formatar determinados tipos de documentos no word em uma ligação de celular. Não vale a pena.

O Bom mesmo de tudo é usar o Captivate, 10 minutos no máximo o exemplo tá feito e você só tem o trabalho de fazer o upload para o servidor do arquevo final um swf padrão e você terá o simulador, eu já coloquei aqui dentre os 400 artigos publicados até hoje alguns videos tutoriais usando o Captivate, mais se tinha uma coisa que eu sempre odiava de coração era a lerdeza devido só 1GB de memória para dividir entre Flash, Flex, Dreamweaver e Captivate, sem condições alguma.

Então meu conselho, se você é uma software house, gasta muito com treinamento de mão de obra, viagens para ensinar quem irá usar seu aplicativo, criar help de forma interativa e muito mais elegante, eu aconselho você comprar o Captivate 3.0 ou atualizar para quem tem a versão 2.0. O software está ótimo e como disse tem uma infinidade de recursos novos. Um outro que destaco é a criação já de acessibilidade 508 para o formato 9 que já pode ser integrado a leitores de interface como o JAWS para deficientes visuais e também auditivos com a adição de Caps para o videos.

Bom, eu falei inicialmente dos dois segmento e qual o foco da Adobe entre ambos. O foco é no Rapidly Training.É justamente esse, como eu falei acima em meu caso no dia-a-dia. Adobe Captivate cria filmes e simuladores de forma elegante que eu não preciso digitar se quer uma linha de código para ter um resultado final, que é incrível e ainda levar o nome dado pela minha mãe de ” Igor é arretado, ô bixo inteligente”. Já falei para ela que é o software que faz tudo sou só o piloto dele.


Procure saber mais aqui sobre o Captivate 3.0
e mude seu jeito de criar simuladores de software e documentação de exemplificação de projetos. Participe do grupo liderado pelo Fábio Oliveira o Captivate Brasil. O Captivate realmente funciona e salva o dia nas horas maior precisão onde o tempo é sempre o vilão.

Flash/ Vídeo

Melhor encoder para transformar em formato FLV, é?

Recebi em meus e-mails uma seguinte pergunta: “Qual o melhor software para fazer encoder de vídeos para o formato FLV sem perca de qualidade e que reduza consideravelmente de tamanho?”
A resposta é rápida e fácil. Se você produz ou quer publicar na internet seus vídeos, a melhor solução é o Flash vídeo com certeza, tanto que 2 anos atrás, era coisa para se pensar duas vezes devido a perca de qualidade quando comparadas ao Microsoft Windows Video (.wmv). Só que hoje a coisa está diferente, depois do suporte a tecnologia de manipulação de pixels no Flash Player 8, a coisa passou a ser mais especificadamente profissional. Então logo após isso o Youtube é lançado e optando pelo formato .flv.
Dos mesmos criadores da tal façanha de colocar vídeos em alta definição e com puquíssimo consumo de espaço no servidor. Eu aconselho você a usar o on2 Flix 8 pro engine. A On2 é a empresa que alugou o pacote de encoder para o Flash Player atual, estão por trás do Flash Player 8 você tem ai. Comparados ao H.264 que é da Apple para seu software queck Time, o VP6, consideralvemente encolhe o arquevo e aumenta a sua qualidade.
Em um simples teste que fiz quando estava convertendo os vídeos para o site da ENG. Quando fomos filmar os arquevos foram entregues em formato .mov com tamanho aproximado de 648MB. Após alguns cliques aqui e outros ali usando o Flix 8 Pro. o arquevo ficou com a mesma qualidade e com transferencia de 400Kpbs e audio de 96kpbs incrívelmente apenas 1.2MB.
Se você quer publiciar vídeos em formato .flv não usem o encoder do próprio Flash 8 IDE. Usem o on2 Flix Engine Pro.
Alguns exemplos de 700Kpbs,600kbps ou 400kpbs estão em exemplo no site da On2.