Dev. Software/ Dicas/ Dicas e truques/ Oportunidades de emprego/ Pessoal

Qual o verdadeiro valor de um desenvolvedor de Software?

real_brasileiro

Eu já escrevi por aqui vários assuntos relacionados a desenvolvedor, alguns foram bem comentados outros nem tanto. Dessa vez eu me deparei com uma situação da vida real onde você pode se perguntar qual o verdadeiro valor de um desenvolvedor de software?

É uma ciência não exata, já que como em toda profissão, o profissional de TI é um tanto quanto luxo e outros tanto quanto prantos. Meio sem sentido não é? Porém se você pensar em jingles de campanhas eleitorais, você vai ver que quase todas as músicas não fazem sentido, são paródias mal escritas e de cunho fulo.

Bem assim é o desenvolvedor de luxo, a estrela da bola, o Fênomeno dos gramados ” oops! bits”, é assim que ele se ver, vende-se mal para caramba e cobra um preço de ouro sendo ouro de tolo.

Existe valor no que foi escrito a 1 ano atrás? Existe valor no que será escrito nas propostas de trabalho e abertura de vagas daqui à 60 dias?

Tudo na vida humana é baseado em datas co-relacionadas a um evento em princípio, o principio do “Eu me acho”, é um fator avacalhador na hora de contratar um valioso desenvolvedor, seja ele do interior, da capital, da favela ou do condomínio de luxo.

Talvez, até um dia que o fator decisivo do “Eu me acho”, tenha data de validade.

Aposto que você leu até aqui e não entendeu patavina alguma. É isso que eu quero causar, perca seu tempo! Ele é a peça mais valiosa de seu dia-a-dia.

Perca seu tempo investindo em seu conhecimento, seja um perdedor nesse período. Não tente ser um desenvolvedor colecionador de certificações, MBA disso e daquilo, tente ser o maior investidor de sua carreira, começando ser auto-avaliado pelo pior crítico do mundo, seu lado macabro e sarcástico.

Todo santo dia, eu acordo, dou aquela velha esticada na cama para colocar os ossos no lugar, levanto, tomo uma ducha bem gelada para terminar de mandar o sono ir embora, depois vou tomar aquele bom e velho café quente, Ligo o tablet e vou dar uma lida nas notícias Espaciais, por que de economia, política, guerra, eu removi de meu app flipboard, já que tudo é a mesma coisa, nunca sai do ciclo.

Pois bem, depois disso, eu começo meu exercício mental e matinal, começo a ler sobre linguagens de programação, técnicas e vez ou outra eu arrisco em outros livros fora do contexto em que vivo, como por exemplo, Novels.

Depois disso, reunião daqui, reunião de lá, algumas micro conferências via skype e quando fui ver passou o dia. A noite começo a prática do que eu aprendi de manhã, por que só de teoria a coisa complica sua vida.

Lá perto das 23:00 acabo o dia, fecho a budega e vou me divertir com a patroa. É basicamente essa a rotina minha hoje, totalmente diferente de 12 anos atrás. Onde eu acordava cedo, pegava o buzão lotado, trabalhava feito jumento e depois tinha que voltar para casa. Não sei se essa dureza me ensinou a valorizar meu tempo mais que nunca.

Passados hoje 12 anos, considero-me mais um empreendedor do que um desenvolvedor, porém nunca deixei o espírito de lado em codificar produtos e idéias, sou sempre surpreendido por amigos, alunos com alguns ciclos que eu já passei, por exemplo, meia noite pedindo ajuda de código.
Você teve o dia inteiro para fazer, provavelmente você está ali por que cometeu um erro estúpido durante o dia ou o prazo recebido; Gastou seu tempo com bobagens.

E olha que eu já falei sobre gastar melhor seu tempo nesse post aqui.
Mudando um pouco da nossa conversa de pau para pião, eu sempre vejo algumas tirinhas de Médico vs. profissionais de TI, na moral da história nenhuma área é relativamente relacionada a outra em questão de conhecimento. O que toda profissão tem em comum são referências, qualidades e defeitos. Não me cola essa de querer ganhar mais só por que sabe fazer uma coisa que não vai ser útil dentro de seu atual ambiente de trabalho.

Tem uma tirinha bem interessante do Vida de programador, que eu me refiro a esse tipo de profissional, veja ai abaixo.

O que adianta você manjar de tudo isso, se você não se dá o valor? Existe um grande habismo em quebrar o galho e criar serviços. Se você for parte de uma ONG e quer ser voluntário, você dedica apenas um tempo determinado para aquele problema específico e para pessoas que não tem condições de te pagar. É o velho ditado, é dando que se recebe.

Mais saiba separar a vida pessoal, familiar da profissional, se não você vai acabar viciando seus parentes e deixando o que é importante em sua vida em segundo plano.

E esse ciclo se estende para sua atual empresa, seja você empresário ou profissional.

Se você é empresário o objeto de maior valor dentro de sua empresa é seu funcionário, faça ele gastar o tempo em coisas inteligentes que sirva para melhorar a qualidade atual do que você oferece aos seus clientes, até quem sabe gerar novos negócios não explorados dentro de sua atual gestão.

Se você é desenvolvedor e quer aumento, procure melhorar o salário apresentando novas idéias relacionadas a novos negócios não explorados na sua empresa, se seu patrão ver a idéia, adota-la e não lhe der aumento, mude de empresa imediatamente, o tempo gasto naquela idéia pode ser aplicado a outra empresa, deixe isso bem claro na hora de apresentar sua idéia e em seguida pedir aumento.

Todos querem vencer, conquistar dominar, é da nossa natureza em especial se formos homens, querer sempre o melhor, progredir, sermos os provedores para nossas famílias, é comum de nossa raça ter esse pensamento de superioridade.

Começe a pensar diferente, uma nação tem um exército para combater o mal e seus interesses, não é por que a nação tem o exército que ela vai toda hora fazer guerra. Ela sempre busca a paz e não a volatidade.

Na teoria de equilíbrio de John Nash, se você empresário ver todo o potencial de uma idéia assim como seu empregado, todos tende a ganhar, não adianta ser esperto nesse nosso mercado, ele é pequeno e logo logo sua estratégia frajuta de querer pagar menos ou de ganhar mais, ficará logo conhecida.

Assim, se aplica a teoria de equilíbrio para os colegas de profissão, o que adianta você cobrar menos que seu atual colega se você só degradará mais ainda seus futuros projetos e sacrificará mais ainda seu tempo? Tem lógica isso?

Por isso que usei a foto da nota de R$1 real, quando era de papel ela tinha mais valor na nossa carteira, depois que virou moeda, ela perdeu todo valor e o posto para nota de R$2 reais, sendo assim o espetinho de gato subiu por causa dessa mudança.

Pense bem sobre suas atitudes e valores, tem uma frase  que define bem isso de Fernando Pessoa.

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.
Fernando Pessoa

Eu termino o post perguntando, Qual é seu verdadeiro valor como desenvolvedor de software?

6 thoughts on “Qual o verdadeiro valor de um desenvolvedor de Software?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *