Apache Cordova/ ios/ Mobile/ NodeJS/ Notícias/ Phonegap

Phonegap App, um live reload para desenvolvedores

phonegap_app

Acabaram de lançar o PhoneGap App. Um aplicativo que permite você testar o aplicativo que você está fazendo, sem se preocupar nesse período em assinar, empacotar e testar o que você faz.

Para quem é desenvolvedor Front-end e conhece o benefício do Live Reload, é basicamente a mesma coisa, facilita para caramba na hora de testar enquanto desenvolve.

Como usar?

Primeiro passo

Baixe o Phonegap ou atualize para última versão.

Depois instale o Phonegap como global.

  npm install phonegap -g
Se você não tem ainda o phonegap ou Apache Cordova como é conhecido, você deve instalar primeiramente o NodeJs que vem acompanhado do NPM (Node Package Manager), para baixar o nodejs, vá até o site nodejs.org

Segundo passo

Acesse o Phonegap App e baixe o aplicativo para seu dispositivo Android ou iOS, para Windows Phone em breve será disponibilizado.

Terceiro passo

Com o aplicativo instalado em seu dispositivo e o phonegap já configurado começe com os seguintes comandos:

Se você não tem aplicativo, basta executar esses passos.

c:\ phonegap create MeuAplicativo
c:\ cd /MeuAplicativo
c:\MeuAplicativo/ phonegap serve

Se você já tem aplicativos, só executar assim:

c:\ cd /MeuAplicativo
c:\MeuAplicativo/ phonegap serve

O código fonte tanto do PhoneGap, assim como dos PhoneGap App e o site, estão disponíveis aqui

ios/ iPad/ Iphone/ Mobile/ Negócios/ Notícias/ Pessoal

92.6% do mercado de smartphone é Android ou iOS, só que nem tudo que reluz é ouro

smartphones
[quote style=”1″] De acordo com a Gartner, 92,6% dos smartphones vendidos no primeiro trimestre de 2013 eram Android ou iOS. Os outros sistemas têm participação ínfima: BlackBerry (3%), Windows Phone (2,9%) e Bada (0,7%). Os dados divulgados pela IDC não são muito diferentes, mas dão o terceiro lugar para o Windows Phone, que alcançou 3,2% de participação de mercado.
[/quote]

Porém, nem tudo que reluz é ouro, vender para smartphone só por que ele lidera a lista não quer dizer que aquela plataforma paga suas contas necessariamente. Existe um ponto flutuante entre a plataforma e o ecosistema que sustenta ela.

Sem dúvida, para minha realidade, eu ganho mais dinheiro na Apple Store do que vendendo Apps para o Android, eu costumo fazer mais Apps para Apple do que para Windows e costumo fazer mais Apps para Blackberry do que para a Nokia.

Dá para ganhar dinheiro principalmente com plataformas emergenciais, fomentando a classe C e D do mundo, o Firefox OS mesmo é minha aposta para ganhar dinheiro diretamente com o público final.

Como 99% do tempo fazendo Apps para terceiros lucracrem sobre usuários finais, você acaba não faturando tanto quanto seu cliente fatura, mas manter o cheque recebível mensalmente é outra história.

Desde que lançaram a moda de Smartphones em 2007 a quantidade de apps que criamos para clientes foram:

[table style=”1″]
Apple Android Blackberry
49 Apps 21 Apps 13 Apps
[/table]

Destas apps 80% são gratuitas e envolve campanhas publicitárias, mercado de publicação digital, 12% são games e 8% apps institucionais.

De todas elas, a mais lucrativa foi a Blackberry, Apple Store dá dinheiro, mas não tanto. O mercado de Android é saturado, ou você distribui a App de graça com propaganda ou nem dinheiro para um burger king você vai ter.

Fonte: http://www.gartner.com/newsroom/id/2482816

Android/ ios/ Pessoal

Android Alerta: Cuidado com que o seu dispositivo envia quando está conectado

android_malware

android_malware

Quando se trata de celular, eu sou cético em sair instalando tudo que tem por ai, por mais gratuito e bem polído o aplicativo seja. Quando sobra aquele tempo eu investigo  um pouco a mais o que o app trás. E pasmem, Todos os Apps que eu baixo 2 em cada 5 querem os meus dados como ‘lista de contatos’, última localização válida, quais serviços estão sendo executados no exato momento.

Mesmo o Google com uma batalha de gato e rato e implementando novas coisas, mesmo assim tais Apps são só descobertos se você desconfiar.

Se você tem um Android, você tem a grande facilidade de monitorar isso com maior clareza, já que você é responsável pelos seus dados e toda fabricante (Apple/Google/Microsoft/RIM) afirma, você é quem deve dizer se deixa ou não acessar tais informações.

Ontem eu queria instalar um App grátis no meu Android, para manter a descrição intácta e preservar os autores, digamos que ela seja uma to-do-list. É sempre bom ficar de olho na concorrência e para minha surpresa, mesmo não pedindo autorização a lista de contatos a App tinha um serviço para tal coleta. Acreditem ou não o App faz duas instalações do aparelho, 1 que é o app propriamente dito e outra é o serviço.

Afim de estudar um pouco à mais essa perceção de captura de dados eu começei a debugar o Aparelho, mesmo com o .apk inacessível você consegue ver os serviços em questão e ver o que eles rodam.

Você pega o ADB e começa a dedilhar o que é exposto, mesmo assim não dá para saber muita coisa além do nome do serviço rodando que você também pode ver direto do Android.

Pesquisei como capturar o tráfego e o que estava saíndo do Android, e acabei com esse link que indico para você baixar e testar em seu próprio aparelho.

No final das contas, realmente o App copiava meus contatos apenas com e-mails, enviava minhas últimas coordenadas de GPS válidas e algumas variáveis métricas para saber que aparelho eu estava utilizando. Ficando apenas o ponto crítico e imoral de coletar meus dados pessoais.

Fiquem espertos com muita vantagem! Cabe a você fazer tais denúncias.

AIR Mobile/ Android/ Apache Cordova/ ios/ iPad/ Iphone/ JQuery Mobile/ Phonegap/ Tablets

Apache Cordova vs Adobe AIR para dispositivos móveis

cordova_logo

É bom ter competitividade na esfera web, assim nasce projetos fantásticos que ajudam o desenvolvedor a criar soluções práticas e rápidas.
Este é o caso do Apache Cordova aka “Phonegap”, o Cordova tem surpreendido diversos desenvolvedores móveis, pela sua praticidade em acessar recursos nativos do aparelho para diferentes plataformas móveis, assim como o Adobe AIR o Apache Cordova te ajuda de uma maneira fácil acessar calendário, contato, notificações, alertas, vibrar, geolocalização, compasso e uma diversidade de novas funções built-in que vem no seu celular.

Depois de gastar um bom tempo estudando seu modelo, seu comportamento e como ele trabalha, decidi escrever um post sobre ele e compara-lo ao Adobe AIR, o que nesse caso eu tenho mais intimidade.

Assim como em qualquer tecnologia, você tem os pros e cons, acho que com isso você já tem uma noção maior do que usar e o que não usar, colocando em mente que cada caso é obrigatório analisar primeiro antes de decidir.

Apache Cordova

Pros:

  • Atinge 6 plataformas com uma só API
  • 90% de sua API já é built-in ( Vibration, BatteryLevel, Menu, Alertas, Calendário, Contatos)
  • Possibilita você criar suas extensões próprias com facilidade
  • Larga comunidade e alta frequência de builds.
  • Curva de aprendizagem muito rápida
  • Arquivo de instalação leve máx (4mb)
  • Performance de execução do App e efeitos de transição beira o nativo.
  • Interface pode ser feita em HTML/CSS/JS o que muito designer pode criar suas próprias Apps facilmente.
  • Componentes são criados e desacoplados em tempo de execução
  • Interfae é interpretada por um navegador interno WebKit

Cons:

  • Diversos frameworks para UI, faz você se perder em qual usar para seu projeto
  • Não tem suporte a HTTPS
  • Não suporta gestos por padrão, você tem que usar biblioteca externa para isso.
  • Ainda para dispositivos ios você tem que colocar o velho POG em ação para aceleração de hardware
  • Documentação é pobre de exemplos
  • Sem suporte a SQlite por padrão
  • Não suporta encriptação do sqlite
  • Suporta transferencia de dados em XML/JSON

 

Adobe AIR  3.5 para mobile

Pros:

  • Atinge apenas (Android 2.3.3+, ios 3.1+ e Blackberry Playbook)
  • Ciclo de vida de componentes baseado em eventos
  • Suporte a gestos por padrão
  • Suporta transferencia de arquivos em AMF/AMF3/JSON/XML
  • Suporta HTTPS/ SQLite/ Webcam/Audio e Video
  • Live stream de videos
  • Componentes já pré-fabricados usando o Flex Framework
  • Performance de 60fps quando usadas as classes Stage3D
  • Documentação extensa

Cons:

  • Arquivo de instalação ~10mb o que é grande para se transmitir via 3G
  • Interface é compilada e rendenizada
  • Suporta recursos nativos apenas se você extender com o ANE
  • Rendenização de texto é um pesadelo
  • Layout fluido para diversas telas diferentes é um POG gigantesco
  • Performance lenta quando se tem mais de 5 views
  • Ciclo de 24fps deixa qualquer celular com Android 2.3.3 lento
  • Não melhora o gerenciamento da bateria.

 

Claro que tem outros pros e cons de cada tecnologia, só que essas são as mais corriqueiras que você vai ver em grande parte dos casos quando for escolher.

E qual devo usar? Essa deve ser sua pergunta agora depois de ter lido os pros e cons. Minha resposta é vai depender de seu caso e o que você precisa fazer.

Um exemplo é, se você vai fazer jogos, eu lhe aconselho usar o Adobe AIR, já que a performance é melhor e muito mais fácil para criar jogos, agora se você vai fazer uma App para empresa que ela coleta informações de inventário, informações de cliente ou um App para registro de compras, o Apache Cordova é seu melhor parceiro.

Depois de duzias de Apps escritos, eu estou considerando o Apache Cordova como primeira opção e logo em seguida o Adobe AIR para boa parte dos Apps que escrevo diariamente.

Pergunto a você quais foram seus maiores problemas entre as duas plataformas?

Flex/ Flex 4.5/ Flex Mobile Framework

Problemas para atualizar Flash Builder 4.5 para 4.5.1 ?

Você já tinha suporte nativo para criar apps para Android no Flash Builder 4.5, porém com o recém lançado 4.5.1 você não faz apenas Android, mas para ios e BlackBerry Playbook.

E isso tem atraído muita gente na esperança de criar apps Flex para mobile, tanto é que alguns colocam defeito no Flex, achando que só serve para Android, o fato é que se você não atualiza, você vai passar batido.

O grande problema é que para atualizar, muita gente acostumada com o Eclipse vai em Help > Search Product Update. Vai ver que não é bem por ai.

Especialmente no Flash Builder a Adobe em conjunto com a suite CS 5.5 criaram um mecanismo que se atualiza. Basta usar o menu corretamente.

help_flex

Siga os passos corretamente e você terá atualizado o seu Flash Builder.

Existem casos especiais que nem assim funciona, nesse caso você baixa manualmente o update e instala, Lembre-se de fechar o Flash Builder antes de fazer isso.
Acesse esse link e baixa a versão que corresponde ao seu OS.